4 lições de empreendedorismo com mulheres de sucesso

No dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher. Durante este mês, é comum vermos diversas ações que buscam lembrar a força do sexo feminino e destacar a importância que as mulheres tiveram na história e que ainda têm para o desenvolvimento do país.

Para contribuir com esta série de homenagens, reunimos aqui quatro exemplos de mulheres empreendedoras que têm muito a ensinar tanto para quem está iniciando na vida empresarial quanto para empreendedores mais experientes! Confira suas lições:

1. Experiências pessoais podem se tornar negócios inovadores

Andrea Vasques é uma administradora que decidiu empreender a partir de uma experiência pessoal. Um dia, ao procurar uma lingerie mais sexy para surpreender o marido, ela percebeu que esta não é uma tarefa fácil para mulheres acima do peso ideal. Foi, então, que ela descobriu um fabricante que produz peças maiores e fora do básico. Aproveitando que este é um mercado pouco explorado, Andrea não só comprou lingerie para si, mas também começou a revender as peças em sua cidade. Cerca de um ano depois, a empresária conseguiu abrir sua primeira loja: a Andrea Vasques Moda Plus Size. O negócio expandiu e, hoje, além de lingerie, comercializa biquínis e vestidos.

2. O sucesso é uma consequência do esforço

Esta é uma das maiores lições para quem conhece a história de Luiza Helena Trajano, considerada uma das mulheres mais poderosas do Brasil. A empresária é responsável pela gestão de um grupo com cerca de 800 lojas e mais de vinte mil funcionários. A história de sucesso teve início, quando Luiza tinha 12 anos, e começou a ajudar na loja de presentes dos tios durante as férias escolares. Com 18 anos, ela começou a trabalhar formalmente no local. Foi balconista e gerente geral, antes de chegar ao cargo de diretora-superintendente, em 1991. Nessa época, a pequena loja do interior de Franca, em São Paulo, já havia expandido e trocado de nome para Magazine Luiza. Sob o comando de Luiza, a marca cresceu ainda mais e hoje é uma das maiores empresas varejistas do país.

3. Nichos não explorados podem aumentar a rentabilidade do seu negócio

Sônia Hess é uma das herdeiras da marca de camisetas Dudalina que, por 12 anos, foi responsável pela presidência da empresa. Durante este tempo, a marca se tornou um dos grandes nomes da moda brasileira. Uma das grandes sacadas da empreendedora foi experimentar um nicho pouco explorado pelas marcas de roupas até 2010: as camisas sociais femininas. Logo, executivas começaram a investir na marca e camisas sociais Dudalina apareceram na bancada de telejornais veiculados em todo o país. Também foi sob o comando de Sônia que a marca abriu suas primeiras lojas próprias, em 2006. Estas e outras decisões acertadas levaram a empresa a crescer até 30% por ano! A visão empreendedora da empresária e a coragem para experimentar novos nichos do mercado foram essenciais para o sucesso da marca.

BANNER_controlevendas_SS_648x150 (1)

4. Para ter o seu próprio negócio, é preciso coragem

Talvez você ainda não tenha o capital inicial necessário para iniciar o seu negócio, mas se tiver uma boa ideia e acreditar no seu projeto já é meio caminho andado! Esta é uma das lições que podem ser aprendidas com a trajetória de Cristina Boner, fundadora da empresa Globalweb – uma das primeiras a revender pacotes da Microsoft no Brasil. Entre os principais clientes da empresa, estão o banco Itaú e a companhia aérea Gol. Quando criou a Globalweb, em 1992, Cristina era professora universitária. O espírito empreendedor falou mais alto: ela vendeu o carro que tinha, na época, convidou dois alunos para serem seus estagiários e começou o próprio negócio! A coragem foi recompensada – o rendimento anual da empresa já chega a meio milhão de reais.

Lembrou-se de mais mulheres empreendedoras? Veja o depoimento da nossa cliente Denise Gallina e inspire-se a conquistar o seu espaço no mundo dos negócios.

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário