5 conceitos financeiros fundamentais para MEI

Começar o próprio negócio é uma grande empreitada que reserva inúmeros desafios e requer muito planejamento, principalmente quando se é um Microempreendedor Individual (MEI).

Se você está começando ou pretende começar seu próprio negócio, precisa saber que existem conceitos financeiros fundamentais, altamente relevantes a serem considerados, para que a sua jornada seja promissora e sua empresa possa sobreviver no mercado atual.

Conhecer seu público-alvo, saber calcular o capital de giro, ter um controle de estoque preciso, saber precificar seus produtos ou serviços: esses são apenas alguns dos conceitos importantes que você precisa ter pleno conhecimento quando aceito o desafio de administrar sua própria empresa.

Para ajudar, separamos alguns dos conceitos financeiros fundamentais, com dicas de administração para MEI e pequenas empresas, confira agora!

1. Precificação de produto

Se não é o mais importante, é um dos aspectos que exige mais responsabilidade em um negócio. Muitos empresários acabam sofrendo consequências financeiras desastrosas por não saberem como estipular o preço a ser cobrado por seus produtos ou serviços. Por falta de um parâmetro ou conhecimento sobre economia empresarial, muitas empresas perdem clientes porque praticam preços acima do mercado ou acabam tendo sua margem de lucro drasticamente reduzida por cobrarem abaixo do valor ideal.

Para definir o preço de venda de seu produto, é preciso considerar uma série de fatores:

  • A média do preço praticado pela concorrência;
  • Os custos operacionais (produção, despesas fixas e variáveis);
  • A margem de lucro ideal para sustentar seu negócio;
  • A tributação (impostos, taxas e contribuições);
  • As despesas administrativas etc.

2. Controle de estoque

Certamente, você já deve ter se questionado sobre alguns aspectos:

  • Se o estoque possuir uma baixa quantidade de itens e a demanda for alta, você deixa de vender e perde dinheiro;
  • Se você investir em um estoque abundante, também corre o risco de perder dinheiro caso a demanda seja inferior ao esperado, porque estoque parado é sinônimo de prejuízo.

Sem mencionar os problemas que ocorrem durante o cotidiano da empresa por falta de organização e planejamento com o estoque, como por exemplo, quando o produto consta no sistema e a venda é efetuada, mas na verdade o sistema estava desatualizado e o resultado é: uma venda perdida e um cliente insatisfeito.

Um sistema de gestão empresarial que oferece recursos para um eficiente controle de estoque pode ser a solução perfeita, pois ele permite que o estoque seja atualizado em tempo real, produtos sejam rastreados por código, entre outros benefícios úteis para ajudar a economizar e aumentar sua margem de lucro.

3. Despesas fixas e variáveis

É preciso saber diferenciar despesas fixas e despesas variáveis, pois os termos não se referem ao mesmo assunto. Despesas fixas são aquelas necessárias para que o negócio continue funcionando, como, por exemplo:

  • Salários dos funcionários;
  • Manutenção de equipamentos;
  • Custo de produção;
  • Custos operacionais.

Despesas variáveis são aquelas que — como o termo já diz — variam conforme o desempenho de vendas e produção em um determinado período, ou pela carga horária do expediente, como, por exemplo:

  • Comissões de vendas;
  • Horas extras de funcionários;
  • Gastos com energia, água, telefone;
  • Gastos com materiais de produção.

4. Capital de giro

De forma resumida, capital de giro é a receita que sua empresa precisa dispor em caixa para arcar com todos seus custos operacionais e se manter funcionando até que possa receber dos clientes. É como uma reserva de dinheiro, mas não se refere ao lucro e não é destinada a investimentos.

Uma empresa que não sabe como calcular e manter um bom capital de giro arca com juros e tem sua lucratividade prejudicada, por eventualmente ter que recorrer a empréstimos bancários ou utilizar verba destinada ao pagamento de fornecedores e outras contas importantes.

5. Fluxo de caixa

O fluxo de caixa de uma empresa é a relação comparativa entre todas as entradas e saídas de recursos em um determinado período. Apesar de ser simples de se administrar, erros cometidos por falha humana são muito decorrentes e acabam prejudicando o financeiro, afetando a margem de lucro e até mesmo causando prejuízos.

Por isso, é importante utilizar um sistema de administração financeira automatizado, que seja capaz de integrar o caixa e as contas bancárias da empresa em um mesmo banco de dados, permitindo uma gestão mais segura.

Comece a aplicar esses conceitos financeiros fundamentais em sua empresa desde já, pois o nível administrativo implica diretamente em melhor gestão e possibilidade de crescimento.

Software de gestão empresarial

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Um comentário em “5 conceitos financeiros fundamentais para MEI

Deixe uma resposta