5 motivos para você aprender a poupar

Você já deve ter perdido a conta de quantas vezes ouviu economistas e consultores financeiros falarem por aí da importância de se consumir com consciência e guardar dinheiro. Mas como é difícil colocar isso em prática, não é mesmo?

Uma boa forma de conseguir a determinação necessária para mudar nosso relacionamento com as finanças é materializar as consequências positivas dessa nova postura em nossa vida. Enquanto o planejamento financeiro sempre fica como uma meta para começar amanhã, esse dia nunca chega e você continua a colher os frutos amargos de uma vida financeira sem organização.

O momento é agora. Pare! Você já está atrasado para começar a organizar seu programa de controle financeiro. Duvida? O que você fez com seu dinheiro nos últimos dois anos? Pagou as contas, comprou roupas, sapatos, quitou dívidas, pagou as parcelas do carro e da casa. Não importa! Se você tivesse guardado R$ 50 que, cá entre nós, às vezes gastamos brincando em um passeio à tarde no shopping, teria hoje, pelo menos R$ 1.200, sem contar os juros.

Parece pouco? Pense então que este valor poderia livrar você das parcelas do seguro do carro, que comprometerão seu orçamento nos próximos meses ou pagar aquele fim de semana em Campos do Jordão que você vai ter que adiar mais uma vez. O inverno está chegando e você terá que passar frio em casa, afinal, as contas chegam todo mês, não é mesmo?

Isso porque estamos falando de um valor relativamente baixo e um período curto de poupança. Já falamos por aqui diversas vezes que os especialistas recomendam que guardemos pelo menos 10% do nosso salário todos os meses. Se essa prática fosse ensinada para a gente desde criancinha (guardar 10% da mesada), talvez estivéssemos em uma situação financeira bem mais favorável hoje.

  1. A boa notícia é que sempre é tempo de mudar. E para ajudá-lo nesse recomeço vamos listar cinco motivos para estimulá-lo a começar a controlar seus gastos a partir de já. E não se esqueça, a melhor forma de fazer isso é organizar de forma clara e transparente tudo o que você ganha e tudo o que você gasta todos os meses. E, para isso, uma planilha de contas a pagar pode ser uma grande aliada. Vamos lá?Quem paga na hora, paga menos. As lojas costumam dar descontos para os pagamentos à vista. Um desconto de 5%, por exemplo, pode parecer pouco em um primeiro momento. Mas se você pensar que precisaria deixar seu dinheiro parado por um ano inteiro na poupança para conseguir um rendimento semelhante, a economia de 5% fica mais atrativa, não fica?
  2. Ter um fundo de emergência. Já pensou como seria a vida sem entrar no cheque especial? Uma maravilha! E uma maravilha possível, ao contrário do que você pode pensar. Não é preciso ser milionário para ter dinheiro, basta ser organizado. Se você separar um pouquinho da sua renda por mês e deixá-la guardada, com o tempo formará um colchão financeiro, que irá ser fundamental nos momentos de emergência.
  3. Em vez de pagar juros, recebê-los. Se você guarda dinheiro antes de comprar, em vez de ter que optar sempre pelas parcelas para comprar o que quer, você muda de posição na “cadeia alimentar” da economia. Em vez de ser um pagador de juros (afinal, ninguém empresta dinheiro de graça para a gente), você será um recebedor de juros. Afinal, se você está guardando dinheiro para uma meta de médio prazo, por exemplo, (daqui a mais ou menos um ano), não vai deixá-lo parado debaixo do colchão, certo? Qualquer aplicação de investimento, mesmo as mais conservadoras, como a poupança, vale mais a pena do que ter que pagar juros em um financiamento;
  4. Ter uma velhice mais tranquila. Por mais que você contribua com o INSS, o teto da aposentadoria pública no Brasil é de menos de R$ 4 mil. E por enquanto… Todo mundo sabe que a previdência está supersaturada e demanda uma reforma para breve. Assim, poupar dinheiro significa garantir um futuro mais tranquilo quando a merecida hora do descanso chegar;
  5. Libertar seu orçamento das parcelas. O gostinho de poder gastar o salário todo com o que você quiser é impagável. Muitas vezes, acabamos nos acostumando com a abocanhada das parcelas que vivemos alternando: assim que acaba uma dívida, já entramos na próxima. Mas se você se programar, com a ajuda do planejamento financeiro, você poderá livrar-se delas para sempre. É só querer.

 

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn