5 segredos para uma boa Gestão Financeira

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Um dos maiores desafios e segredos para o sucesso de um negócio é a uma boa gestão financeira e de orçamento. Sem isso, é difícil expandir o negócio e obter lucro. Por isso, é essencial que o empreendedor mantenha um controle eficaz sobre o caixa da empresa.

Esta tarefa não é simples e requer conhecimentos em finanças. Em pequenas e médias empresas, onde as equipes são pequenas, o desafio é ainda maior, porque geralmente há apenas uma pessoa para fazer toda a gestão financeira. No entanto, algumas estratégias de gestão financeira podem reduzir os riscos de fracasso.

E quais são os cinco segredos para uma boa gestão financeira? Confira!

Flat design vector illustration infographic concept with icons set of modern business working elements, finance paperwork objects and financial planning for development business project. Isolated on stylish color background.

 1. Gestão financeira aliada à tecnologia

A Sage oferece ferramentas fáceis de usar e úteis, quando se precisa controlar a economia do seu negócio. Com o Sage Start Controle Financeiro, é possível transformar as suas receitas em relatórios detalhados e ordenados. Verifique a sua situação financeira atual e construa seus orçamentos com base nas informações bancárias. Embora um aplicativo em si não salve o seu negócio, ele é capaz de oferecer uma visão da sua empresa de maneira simples e objetiva.

2. Controle as despesas

Muitas vezes as pequenas empresas perdem a visão geral de números diários, semanais e mensais, além das tendências financeiras relacionadas ao mundo dos negócios. Uma boa contabilidade é crucial para entender as finanças da sua empresa e é a base para ter uma boa ideia da sua liquidez. Se a sua empresa não tem um especialista em números, o contador será op seu braço direito.

Nem todos os custos incorridos são da mesma natureza. É necessário classificá-los em custos fixos, aqueles que, independentemente do tamanho da empresa e do mês estarão presentes (aluguel, salários administrativos, conta de luz) e custos variáveis, que dependem do número de vendas ou serviços prestados no mês (materiais, taxas). Uma vez que isto é compreendido, é possível responder a perguntas como o quanto podemos cobrar por entrega, ou quantas horas de trabalho semanal são necessárias para cobrir os custos.

gestaofinanceira

3. Orçamento

O desenvolvimento de um orçamento anual ajuda a empresa a manter o controle das finanças. Nesta fase, é essencial obedecer a determinados critérios: a projeção do balanço anual, definição das metas financeiras e a criação de um plano com os objetivos da empresa.

Desta forma, é possível avaliar se a empresa irá alcançar seus objetivos financeiros ou não, tornando possível o desenvolvimento de estratégias para melhorar o desempenho.

As vantagens de um orçamento são amplas:

  • Saiba o quanto está sendo gasto de forma real a cada mês;
  • Identifique o destino dos recursos;
  • Entenda os custos, para não gastar mais do que recebe;
  • Avalie se os custos podem ser reduzidos e estabeleça um plano de poupança que permite aumentar os ativos.

O orçamento é a ferramenta que otimiza a movimentação das finanças. A sua aplicação depende da estabilidade do futuro financeiro, pois através dela pode ser representada claramente a renda da empresa e, o mais importante, estabelecer as bases para iniciar o plano de poupança.

4. Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa deve ser visto pelo empresário como um instrumento de gestão financeira e orçamental, ajudando a controlar as contas empresariais. Por meio dele é possível antecipar despesas e receitas ao planejar um horizonte de três a doze meses.

Contando o dinheiro disponível no final de cada mês é possível avaliar o resultado e os ganhos para o período. Isso pode levar a empresa a tirar conclusões erradas sobre o desempenho, afinal nem todos os clientes pagam em dinheiro e muitas vezes os rendimentos produzidos são recebidos em mais de uma parcela. É necessário monitorar as contas pendentes. O mesmo se aplica aos custos: independente de o pagamento ser feito em mais de uma parcela, eles devem ser contados apenas uma vez, uma vez que correspondem a um período específico.

Hoje, há um grande número de softwares e ferramentas que ajudam a controlar o fluxo de caixa como o Sage Start Controle Financeiro. Eles são uma excelente para os empresários que não são muito organizados.

shutterstock_285020051-620x420

5. Contas pessoais

Para gerenciar as finanças do negócio, o empreendedor não pode misturar as contas pessoais com as da empresa. Muitos empresários, sendo os proprietários da empresa, cometem o erro de misturar suas finanças pessoais com as da empresa. Isso impede a realização de uma análise completa dos dados e tirar conclusões relevantes que vão ajudar na gestão financeira da empresa. O que foi gasto? Por que foi gasto mais / menos do que em períodos anteriores? Nossa receita excede nossos custos?

Esse erro pode ter consequências graves. Defina um valor que você pode retirar do negócio mensalmente e não retire mais dinheiro do que o necessário. Assim, a empresa pode manter o orçamento sempre em dia.

Com estas recomendações em mente, é hora de planejar as finanças do seu negócio. Lembre-se: controlar os recursos financeiros é essencial para não falhar.

E você? Alguma dúvida na gestão financeira da sua empresa? Comente!

 

 

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta