Aprenda a calcular o 13 salário da sua equipe

O final do ano é uma época muito aguardada pelos trabalhadores brasileiros por causa da chegada do 13º salário. Há quem o utilize para investir nas comemorações do período, comprando os presentes de Natal, caprichando na ceia ou escolhendo um destino diferente para passar o réveillon. Outros preferem poupar, já que o início de ano é marcado por despesas como o IPVA, IPTU e a mensalidade escolar. Mas você conhece a origem do 13º salário, como funciona e como calculá-lo? Leia abaixo e aprenda um pouco mais sobre esta importante renda extra!

O que é o décimo terceiro salário?

Benefício incorporado indiretamente à renda do brasileiro através do decreto nº. 57.165, o 13º terceiro foi instituído em 1962 como uma gratificação de Natal. Hoje ele é um pagamento extra ao trabalhador recebido ao final de cada ano vigente. Algumas empresas pagam o valor integral de apenas uma vez, mas ele também pode ser recebido em duas parcelas: a primeira até o dia 29 de novembro e a segunda até o dia 20 de dezembro. Caso a empresa opte por realizar o pagamento deste beneficio em duas vezes, não há nenhum desconto no primeiro pagamento, deduzindo-se o Imposto de Renda e o INSS na segunda remuneração.

Quem tem direito a receber?

Todo trabalhador com carteira assinada têm direito à bonificação, a partir de quinze dias trabalhados. Lembrando que aposentados e pensionistas também recebem a gratificação, paga pelo INSS. Nesses casos, o Governo antecipa a primeira parcela para o mês de julho. Caso seja da vontade do empregado é possível também receber o adiantamento da parcela do décimo terceiro salário no momento em que ele tira férias. A solicitação deve ser enviada por escrito ao empregador até o mês de janeiro do respectivo ano em que as férias serão marcadas.

Como calcular o décimo terceiro

Para o cálculo do 13º é necessário pegar o salário integral do colaborador, dividi-lo por doze e, em seguida, multiplicar pelo número de meses trabalhados. Mas nem sempre o trabalhador receberá o valor proporcional aos 12 meses de atividades. Por exemplo, se ele tiver mais de 15 faltas não justificadas dentro de um mês, perde o direito de receber o 13º relativo ao mês em que ocorreram as faltas. As faltas só serão desconsideradas se elas se relacionarem a acidentes de trabalho. Lembrando que os demais adicionais também entram nesta base de cálculo, como comissões, horas extras, adicional noturno e insalubridade. Caso o empregado receba salários variados ao longo do ano, o benefício será calculado fazendo-se a média de 1/11 da soma de todos os valores recebidos.

O que o empregador deve observar

Em relação ao cálculo, o empregador deve observar o percentual de desconto do INSS a ser aplicado de acordo com a remuneração bruta de cada empregado. Já o cálculo do Imposto de Renda é feito com a consulta da tabela progressiva, que pode ser encontrada no site da Receita Federal. Como essa tabela é atualizada pela Receita todos os anos, o ideal é que o empregador sempre realize o cálculo dentro do próprio site evitando a possibilidade de um cálculo indevido.

E então, entendeu como é calculado o 13º? Ainda tem dúvidas? Deixe um comentário!

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

5 comentários em “Aprenda a calcular o 13 salário da sua equipe

  1. PREZADOS SENHORES:
    PARA SE CALCULAR O DECIMO TERCEIRO DEVE-SE INCLUIR, HORAS EXTRAS E ADICIONAIS NOTURNOS NO CALCULO, SOMANDO-SE TODOS OS SALÁRIOS BRUTOS DO ANO DIVIDE POR 12 E MULTIPLICA POR 12 ? É ISSO ?
    GRATO.

    1. Oi Antonio! Sim, se o seu funcionário trabalhou 12 meses consecutivos e teve menos de 15 faltas não justificadas por mês. Basicamente, a conta é: valor do salário ÷ (dividido) por 12 x (multiplicado) pelo nº de meses trabalhados. Também é necessário calcular a dedução de INSS e horas extras/adicionais.

Deixe um comentário