Como aproveitar bem a restituição do IR?

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

No dia 15 de agosto, foi liberado o terceiro lote de restituições do Imposto de Renda referente ao ano de 2012. Cerca de 1,1 milhão de contribuintes recebeu R$ 1,4 milhão. Você foi um deles? Nada como receber um dinheirinho extra, não é mesmo?

Mas não é porque você não estava contando com esse dinheiro que pode usá-lo agora como bem entender. O planejamento financeiro é um ótimo aliado para saber aproveitar essa oportunidade para gerar benefícios não apenas momentâneos, mas também duradouros.

As liquidações de inverno estão aí e o mercado de computadores, tablets e smartphones oferece uma tentação maior que a outra dia após dia. Mas o segredo aqui é resistir ao primeiro impulso de satisfazer desejos de consumo e pensar melhor em estratégias financeiras que realmente valham a pena.

Para ajudá-los nisso, selecionamos aqui algumas dicas de como aproveitar de forma inteligente a restituição do IR e colher frutos dessa decisão também no futuro. Confira:

1. Pagar dívidas atrasadas. Antes de pensar em contrair novas dívidas, é mais prudente fazer umcontrole das contas a pagar, ou seja, um pente fino das parcelas (sempre elas!) que mais estão pesando no orçamento. A restituição pode ser uma ótima oportunidade para antecipar dívidas financiadas ou mesmo ganhar um fôlego para parcelas atrasadas. A estratégia mais indicada pelos especialistas é dar prioridade para as dívidas de juros maiores, como o rotativo do cartão de crédito e o cheque especial. Em um primeiro momento pode não fazer diferença, mas nos próximos meses você verá a diferença de ver uma parte do seu orçamento, até então comprometida, livre para ajudá-lo a realizar novos sonhos.

2. Começar a construir sua reserva de emergência. Se você não tem dívidas atrasadas ou está com o orçamento sob controle, pode aproveitar esse dinheiro extra para começar a construir sua reserva de emergência, um item fundamental para garantir sua tranquilidade financeira. Especialistas recomendam que as pessoas tenham de três a seis salários guardados em uma aplicação de fácil resgate, como a poupança, reservada para imprevistos (como uma multa ou uma despesa médica inesperada). Além de evitar que entremos na bola de neve do cheque especial, a reserva de emergência é fundamental para nos deixar tranquilos até mesmo nos piores momentos, como por exemplo, uma demissão. Você terá um tempo para se reorganizar e buscar uma recolocação no mercado.

3. Realizar sonhos de médio prazo. Se você já possui uma reserva financeira para as emergências, é hora de começar a pensar nos projetos que possui para o período de um a dez anos: uma viagem para o exterior? Um carro novo? Uma sociedade em uma franquia? Não importa qual seja o seu sonho, o que realmente faz diferença é como você está se preparando para realizá-lo. A restituição do IR pode ser o primeiro passo para isso.

 

4. Garantir um futuro tranquilo. Com uma reserva de emergência estruturada e os sonhos de médio prazo encaminhados, não dá para desprezar os projetos de longo prazo, normalmente relacionados à aposentadoria. Muitas pessoas acabam desistindo desse tipo de objetivo justamente porque os frutos serão colhidos daqui a muito tempo. Esse é um grave erro. Quanto antes você começar a planejar sua aposentadoria, menor será o impacto desse planejamento sobre seu orçamento mensal. Que tal aproveitar a restituição do IR para começar a conhecer melhor o mercado de ações? Muitos brasileiros ainda têm medo da bolsa de valores, justamente por não se prepararem adequadamente para esse tipo de investimento, que demanda certo desprendimento. Os retornos da renda variável veem no longo prazo e, por isso, é fundamental não contar com esse dinheiro nos próximos meses. Assim, ao seguir o passo a passo Reserva de Emergência > Projetos de Médio Prazo > Projetos de Longo Prazo, você estará pronto para dar mais um passo dentro das infinitas possibilidades do mundo dos investimentos.

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn