Como gráficos facilitam a gestão de uma empresa

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Uma empresa organizada e com perspectiva de futuro, não vive baseando as suas estratégias apenas no atual momento. A gestão empresarial, aplicada da sua melhor forma, não se permite ser convencida de que um bom período de vendas e resultados positivos sejam o suficiente para garantir a sobrevivência da empresa, em um mercado altamente competitivo. Pois o mercado é mutável, e nunca se sabe o que acontecerá futuramente.

Por isso, um empreendimento promissor analisa seus resultados periodicamente, traça dados e projeta o seu futuro baseando-se em informações reais. Mas como realizar tal tarefa com precisão e eficiência? É exatamente sobre isso que iremos falar no post de hoje: continue lendo, para conferir como gráficos facilitam a gestão empresarial e possibilitam resultados otimizados.

Qual a importância de gráficos e dashboards nas estratégias comerciais?

O mercado de atuação da empresa é um dos fatores determinantes para a definição as estratégias empresariais. Ele permite pautar um ponto inicial para desenvolver e organizar suas estratégias comerciais.

Entretanto, a maioria dos empreendedores encontra dificuldades em organizar as informações, traçar metas, resultados e analisar o desempenho das vendas de um determinado produto ou serviço. E é aí que entra a importância em se utilizar gráficos e dashboards na hora de desenvolver planejamentos e estratégias comerciais de otimização.

Independente de qual seja o período para o qual a empresa deseje projetar o seu planejamento de negócios — se curto, médio ou longo prazo —, através de um gráfico é possível obter informações precisas a respeito de seu futuro.

Por meio de uma visão gráfica, um gestor enxerga, de forma muito clara, as tendências, resultados e dados sobre o comportamento dos consumidores. Assim, ele pode identificar padrões e trabalhar, não baseado em feeling ou instinto, mas em dados e fatos.

Como os dados são traçados e projetados tradicionalmente?

Na maioria das empresas, periodicamente, são realizadas reuniões nas quais os responsáveis por cada setor utilizam memorandos e relatórios com dezenas ou centenas de informações sobre o desempenho de seu departamento no último período (semanal, mensal, trimestral, semestral ou anual).

Além disso, nesses relatórios, existem informações a respeito de quais são os resultados esperados nos próximos meses. Cada mínimo detalhe é relevante:

  • Vendas;
  • Prejuízos;
  • Custos de produção;
  • Problemas;
  • Riscos;
  • Oportunidades;
  • Vantagens estratégicas.

Após um período preestabelecido, outras reuniões serão marcadas, e novamente vai haver leitura de centenas de relatórios, levantamento de inúmeras informações, discussão de explicações e argumentos. Tudo isso consome um tempo precioso de toda a equipe envolvida; tempo esse que pode ser economizado com o uso de um sistema de gestão empresarial que contenha recursos visuais automáticos para elaboração de dashboards e gráficos.

Como um gráfico poderia fornecer a solução?

Independende do tamanho de sua empresa — se você, como empreendedor, decide sozinho as estratégias de seu negócio, ou se é um gestor que participa de reuniões cheias de memorandos —, você encontra, nos gráficos, uma forma mais simplificada e assertiva de visualizar as informações mais completas possíveis. Além de facilitar a visualização de toda a situação da empresa como um todo, o gráfico oferece vantagens como:

  • Demonstrar o real desempenho do negócio dentro de um determinado período;
  • Apresentar uma perspectiva mais ampla dos resultados de vendas da empresa;
  • Oferecer uma visualização realista a respeito do desempenho de cada membro da cada equipe;
  • Permitir que os pontos que precisam ser melhorados fiquem em evidência;
  • Fornecer informações precisas sobre os pontos positivos da empresa;
  • Possibilitar que a equipe elabore um planejamento comercial eficiente, pautando-se em dados consistentes e não em suposições.

Mas não basta “encher” o seu gráfico com informações aleatórias e esperar que ele projete perspectivas precisas e realistas a respeito de seu negócio. É preciso utilizar um sistema confiável e didático, onde esses dados possam ser coletados de forma organizada e os gráficos gerados sejam realmente consistentes.

O que achou do conteúdo de hoje? Você utiliza gráficos na gestão de sua empresa? Compartilhe este post em suas redes sociais e ajude a disseminar as boas práticas empresariais!

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta