Contratar CLT ou PJ? Qual a melhor opção?

Cada vez mais, a contratação por CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) vem perdendo espaço para o regime PJ (Pessoa Jurídica), mas o fato é que as duas opções têm suas vantagens e desvantagens. Por isso, é preciso conhecer muito bem como elas funcionam e levar em consideração outros fatores além do financeiro para tomar a melhor decisão.

Para aprender a fazer essa escolha de forma mais consciente e evitar problemas futuros para a sua empresa, não deixe de ler nosso post!

Vantagens da contratação por PJ

Contratar um profissional via PJ é consideravelmente mais vantajoso economicamente. Os especialistas dizem que a economia é superior a 50% se considerarmos todos os benefícios e impostos, que são diversos:

  • Fundo de garantia;

  • décimo terceiro salário;

  • previdência;

  • férias;

  • seguro-desemprego;

  • vale-transporte e alimentação, etc..

Além disso, a empresa não assume qualquer risco por acidentes de trabalho e o processo é muito menos burocrático.

Outro ponto positivo é que um profissional PJ tende a prestar um serviço mais especializado, pois, geralmente, tem experiência trabalhando nessa área para outras empresas. Essa expertise deixa o empregador mais seguro para delegar algumas funções, descentralizando tarefas e ficando mais livre em sua rotina administrativa.

A contratação de PJ deve acontecer, portanto, quando se busca uma consultoria ou um prestador de trabalho pontual. O PJ deve ser encarado como uma outra empresa, sem qualquer vínculo empregatício com a sua.

No entanto, vale ressaltar que, dependendo dos objetivos da contratação, ainda que o PJ seja mais barato, a CLT pode ser a melhor opção: continue lendo para descobrir quando.

Vantagens da contratação por CLT

Muitas empresas contratam profissionais como PJ mas os tratam como CLT, o que pode acarretar processos judiciais futuramente, obrigando a organização a pagar benefícios retroativos e os tributos do Estado que não foram recolhidos. O risco de que o profissional acione a justiça é a maior desvantagem da contratação inadequada de PJ e, consequentemente, uma das maiores vantagens da contratação via CLT.

Ao contrário do regime PJ, o empregador de um profissional CLT tem autoridade para fazer cobranças relativas a horários fixos e relações hierárquicas. Quando se contrata um profissional PJ, é preciso ter em mente que sua jornada de trabalho é flexível e que ele está livre para prestar serviços para outras empresas, inclusive seus concorrentes.

Por tudo isso, pode-se dizer que, no regime CLT, o empregador e o profissional sentem-se mais confortáveis em relação ao respaldo legal e aos benefícios assegurados.

Outra vantagem desta forma de contratação é que a empresa tem mais controle de seus processos. Ela não fica à mercê de um PJ que pode parar a qualquer momento de atendê-la, muitas vezes levando consigo todo o comando de um departamento inteiro e obrigando a empresa a reestruturar seus processos da noite para o dia.

Para finalizar as vantagens do regime CLT, mais um estímulo: as empresas que fazem parte do Simples Nacional são isentas de contribuição previdenciária, o que reduz cistos trabalhistas.

Dessa forma, seja qual for a opção de contratação que você ecolher, o mais importante é analisar a relação que sua empresa realmente terá com o profissional para tomar a decisão certa.

Você se baseia nesse tipo de argumento na hora de escolher contratar um CLT ou um PJ? Compartilhe conosco nos comentários e diga também se ficou com alguma dúvida a respeito.

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário