Definindo seu Preço de Venda

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

O nível de competitividade de uma empresa é mensurado pela qualidade de seus produtos ou serviços, suas estratégias de marketing para atrair mais clientes, seu atendimento ao consumidor e, é claro, por seu preço de venda.

Definir o preço de venda dos produtos ou serviços de uma empresa é uma das tarefas em que grande parte dos empreendedores tem dificuldade. Isso porque o preço deve cobrir seus custos operacionais, despesas e oferecer lucratividade, ao mesmo tempo em que é baixo o suficiente para não desvalorizar o produto, mas também não pode ser alto demais para superestimar seu valor no mercado.

Mas o assunto não é tão complexo se você seguir algumas dicas sobre como precificar seus produtos de forma justa e competitiva.

Entendendo o que é preço de venda

O produto ou serviço comercializado por seu negócio é a sua principal estratégia de atração de clientes e é preciso considerar que grande parte dos consumidores utiliza o preço como parâmetro em sua tomada de decisão na hora de realizar uma compra. Ainda mais nos dias de hoje em que é possível orçar online em poucos minutos.

Porém, isso não significa que você deve cobrar abaixo do preço praticado pelo mercado para atrair mais clientes, pois como citamos anteriormente, seu preço de venda deve levar em conta alguns aspectos, tais como:

  • Custos de produção
  • Custos de distribuição
  • Custos de divulgação
  • Tributação
  • Preço praticado pela concorrência
  • Volume da demanda
  • Custos operacionais
  • Entre outros

Em outras palavras, antes de pensar em lucro ou estratégia de atração, seu preço de venda deve cobrir diversos custos.

Como calcular o preço de venda?

Os dois meios mais comumente utilizados para se definir um preço de venda justo, equilibrado e competitivo, são:

  • Baseando-se em custos, gastos e despesas da empresa
  • Baseando-se no preço praticado pelo mercado, aceito tanto pelo consumidor como pela concorrência

O ideal é que o empreendedor considere os dois meios citados para conseguir definir um preço de venda financeiramente viável para seu negócio e que se mantenha dentro da margem que o consumidor está disposto a pagar.

O que considerar na hora de definir o preço de venda?

Custos fixos e variáveis

É muito importante conhecer seus custos fixos e variáveis antes de definir o preço de venda, uma vez que tais custos precisam ser “sustentados” pela venda de seus produtos ou serviços.

Custos fixos são os gastos recorrentes que não têm muita variação de valor de um mês para outro, como:

  • Salários dos funcionários
  • Aluguel
  • Contas de consumo

Custos variáveis são aqueles que podem alterar mediante a produção, imprevistos ou outros fatores, sendo eles:

  • Manutenções não previstas
  • Multas e juros por atraso
  • Gastos com processos
  • Acidentes de trabalho
  • Entre outros

Regime Tributário

Enquadrar o negócio em um regime tributário adequado é uma das maiores responsabilidades do empreendedor, pois essa decisão pode afetar diretamente a rentabilidade de sua empresa. A opções de sistema tributário para um empreendimento são: Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional.

A escolha do regime tributário irá definir o valor das alíquotas que seus produtos ou serviços serão taxados, consequentemente, quanto deverá cobrar para cobrir gastos e obter lucro. Por exemplo, no Lucro Presumido, o valor do ICMS é de 18%, no Lucro Real ele poderá descontar 7,6% da COFINS e 1,65% do PIS.

O Simples Nacional é o regime tributário mais aderido por pequenas empresas e MEI, já que suas alíquotas são baixas o suficiente para que o empreendedor possa cobrar um preço justo sem comprometer sua lucratividade.

Liquidez e preço de tabela

O preço líquido é valor de seu produto/serviço sem qualquer tributação ou desconto e é por meio dele que o preço de venda é definido de fato. Enquanto o preço de tabela leva em consideração o repasse dos consumidores e escolha do regime tributário do negócio.

Por isso, é importante somar o preço líquido com as tributações, comissão dos funcionários e até mesmo o desconto barganhado com o cliente.

Assim, você pode concluir a formação de um preço de venda justo, competitivo e que sustentará a saúde financeira do seu negócio.

LEIA MAIS:

Como você tem definido o preço de venda de seus produtos ou serviços? Compartilhe a sua experiência conosco deixando um comentário!

Software de gest„o empresarial

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta