Está na hora de sair da informalidade?

Começar a empreender não é uma tarefa fácil: requer boa dose de coragem e criatividade. É muito comum que ao começar sua pequena empresa, o empreendedor não tire CNPJ ou formalize seu estabelecimento. Esse momento é considerado essencial para  experimentar o mercado e sentir se vale a pena levar o projeto à frente. Isso pode funcionar nos estágios iniciais, mas mantê-la informal nos momentos posteriores pode ser um grande risco e pode privá-lo de algumas vantagens. Quando o faturamento e necessidade de contratação forem crescendo, tenha certeza, o melhor é formalizar o negócio.

Quer descobrir se está na hora de sair da informalidade e os benefícios que você terá ao fazer isso? Confira no post a seguir:

Uma mudança de paradigmas

Antigamente a formalização era encarada como um ônus a ser evitado pelos pequenos empresários, porém essa realidade está mudando sensivelmente nos últimos tempos.  O governo criou figuras jurídicas vantajosas para esse tipo de empreendimento e isso permite o acesso a novas possibilidades de negócios, créditos e financiamentos. Para atrair quem está se aventurando nessa seara, foi criada a figura do Empreendedor Individual (EI), que inclui negócios cuja renda mensal esteja entre 3 e 5 mil reais. Essa categoria dá suporte exatamente para quem mais precisa de apoio e esse programa oferece a um enorme número de profissionais a chance de legalizar seu negócio.

Como é feita e quais as vantagens?

A formalização é feita de forma fácil, rápida e desburocratizada. Hoje em dia, basta entrar no endereço virtual do “Portal do Empreendedor Individual” e fazer o registro. Depois, será concedido um alvará provisório gratuito e o empreendedor receberá um número de CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Com ele em mãos, será possível então começar a emissão de nota fiscal e até a prestação de serviços para o próprio governo e empresas particulares. Também com essa formalização fica muito mais fácil conseguir financiamentos ou empréstimos em linhas de crédito especiais que beneficiam esse tipo de empreendimento. E não podemos esquecer dos benefícios da previdência social.

Quais os custos?

Essa grande lista de vantagens, no entanto, não vem propriamente de graça. Além da burocracia, outro motivo que leva o empreendedor a postergar a formalização é a aplicação das taxas e impostos a serem recolhidos. Entre eles estão o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço), o Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza e o Imposto Nacional de Serviço Social (INSS).

Ainda assim, essa é uma quantia relativamente baixa, pois os benefícios e as possibilidades abertas pela formalização superam de longe os gastos com essas taxações. E, além disso, na figura do empreendedor individual, não é preciso apresentar livro caixa, contabilidade formal ou balancete, como é cobrado de outras categorias jurídicas. Ou seja, na prática, não é mandatória a contratação de um contador.

Fica claro, então, que é muito vantajoso formalizar o seu negócio. Isso permite que você busque novas linhas de crédito e cresça de maneira programada e consciente. Além de tudo, estar legalizado garante um sono tranqüilo e a certeza de que dias excelentes para seu empreendimento estarão por vir.

Já saiu da informalidade? Conte nos comentários os benefícios que isso levou a sua empresa!

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta