Fluxo de caixa ajuda no cálculo mais preciso do capital de giro

fluxo de caixaAo abrir um negócio, o empreendedor faz um investimento inicial – que inclui equipamentos, máquinas e as matérias-primas necessárias para dar início às atividades. O planejamento para este aporte também deve conter o capital de giro, ou seja, o dinheiro para a empresa funcionar até começar a ter receita suficiente que sustente a operação.

A orientação mais conservadora é que a empresa tenha como capital de giro o equivalente às suas despesas pelos próximos seis meses. Essa conta será feita com base nas estimativas iniciais de qual é o custo mensal do negócio.

Com a empresa já em funcionamento, o administrador terá um cálculo mais preciso de quanto precisa ser o seu capital de giro. Esta avaliação é feita a partir do fluxo de caixa, que é um retrato fiel de quanto dinheiro entra e quanto sai a cada dia.

O administrador financeiro do negócio deve observar o fluxo de caixa por alguns meses para determinar quanto dinheiro a empresa precisa manter como capital de giro, para cumprir com seus pagamentos sem correr risco de atrasos, mesmo que haja uma redução inesperada na receita da companhia.

cálculo de fluxo de caixaCom os softwares de gestão financeira, esse planejamento se torna muito mais rápido e prático. É possível lançar as receitas e despesas dos próximos 30 dias e ver o saldo de cada conta corrente cadastrada. E ainda o histórico dos gastos e receitas do período.

Esse fluxo de caixa deve conter, detalhadamente, cada pagamento efetuado e cada valor recebido dos clientes. Assim, é possível ver se existe um descasamento entre receitas e despesas em alguns dias do mês e evitar que a conta corrente da empresa fique no vermelho, ou seja, entre no cheque especial.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn