infoxificação

Infoxicação: o que é e como evitar?

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A internet promoveu grandes revoluções no mundo da informação. Se por um lado ela diluiu o monopólio das grandes mídias no que se refere à divulgação de fatos e notícias, por outro lado, qualquer pessoa pode publicar qualquer coisa hoje na web, sem que isso seja necessariamente verdade.

O mundo real e a fantasia possuem fronteiras mais tênues. Desde então, já que a verdade e a mentira podem conviver, quase que de forma harmônica, sem que isso necessariamente represente um problema. Será?

Em 1996, o físico espanhol Alfons Cornella criou o termo “infoxicação”, um neologismo que resulta da soma da “informação” com a “intoxicação”. Essa patologia moderna promove uma espécie de compulsão pelas notícias e torna o indivíduo incapacitado de realizar qualquer análise crítica sobre a menor informação que recebe. O infoxicado, assim como alguém que está contaminado por um vírus, compartilha mentiras e propaga informações falsas, pois já não consegue avaliar a veracidade daquilo que recebe. Esse indivíduo também não consegue medir as consequências dos danos que pode causar propagando mentiras e não possui qualquer senso de responsabilidade sobre as notícias que compartilha.

Infoxicação em empresas

O fenômeno da infoxicação não atinge apenas os indivíduos, mas também as empresas. Hoje, muitas companhias utilizam o marketing de conteúdo como uma estratégia para vender, estabelecer um relacionamento com seu público- alvo e até construir uma marca. O conteúdo, no entanto, mescla o jornalismo, a comunicação e a propaganda e caso não seja elaborado por profissionais qualificados. Porém, ele pode acabar unindo o conteúdo da empresa a informações falsas.

Embora a fantasia sempre seja um ótimo argumento para se vender, quem gera conteúdo tem uma parcela de responsabilidade ao divulgar qualquer tipo de informação que tenha como finalidade ajudar seu cliente. Informações falsas causam danos à imagem e a credibilidade da empresa e assim como a fantasia, a autoridade é para muitos negócios, uma moeda de alto valor.

Como combater a infoxicação na sua empresa?

Empresas que utilizam o conteúdo como estratégia de marketing divulgando notícias, elaborando e-books e alimentando redes sociais devem ter alguns cuidados tanto na forma de divulgação como na contratação de profissionais responsáveis pela comunicação e marketing dentro da empresa. Veja algumas medidas que podem ajudá-lo a combater a infoxicação dentro da sua empresa:

Não divulgue informações sem checar a sua veracidade

Antes de publicar, de postar ou de compartilhar tenha senso crítico e avalie a veracidade da informação. Se a notícia se refere ao nome de pessoas, inicialmente, cheque se elas existem. Se for referente a lugares, verifique onde se localizam e se a situação de fato ocorreu.

Escolha bem as fontes

O velho jornalismo tinha uma preocupação extrema com as fontes que davam origem às notícias. Infelizmente, com a internet essa prática caiu em desuso, mas ela é extremamente importante. Seja criterioso com as fontes. Avalie a confiabilidade de sites, blogs e perfis que divulgam a notícia. Se a notícia fala sobre uma lei, uma regulamentação, a ação de algum órgão público, cheque sempre se a informação é verdadeira em sites oficiais. De preferência utilize sempre hyperlinks para fontes oficiais quando mencioná-las.

Divulgue somente conteúdos atualizados

Por mais atrativa e interessante que a notícia seja, resista à tentação de compartilhá-la se não se tratar de algo atual. Em geral, notícias interessantíssimas antigas já não são mais tão interessantes.

Na dúvida, não divulgue

Se você não encontrou elementos que permitem concluir que a notícia é verdadeira, resista à tentação e não divulgue.

Lembre-se informações falsas além de fazerem mal a quem recebe, ferem a credibilidade e prejudicam a imagem da empresa.

Você se preocupa com a infoxicação dentro da empresa? Conta com alguma política interna para combatê-la? Deixe seus comentários abaixo e compartilhe sua experiência conosco.

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário