Plano de contas: dicas para controlar entrada e saída

Um plano (ou elenco) de contas é um recurso essencial para que o gestor consiga identificar os controles internos da empresa, a fim de tomar melhores decisões sobre o capital que tem em mãos, os investimentos que devem ser feitos ou os empréstimos necessários. Este expediente contábil requer o registro de todos os fatos e acontecimentos da empresa que ofereçam teor financeiro, de forma que tal abrangência vai servir de base para a feitura das demonstrações contábeis do negócio.

Nesse sentido, o plano de contas consiste na criação de códigos e de um sistema classificatório para organizar as entradas e saídas com as quais a empresa lida, a fim de que se façam plenamente verificáveis a origem, a data e o uso de cada lançamento. Então, já que essa ferramenta é muito importante para a gestão financeira da empresa, como poderia fazê-la de forma satisfatória?

A estrutura da ferramenta

É apropriado que esta ferramenta contábil seja montada em uma composição visual que tenha formato de “árvore”, de maneira que existam níveis que se dividam em subníveis (subgrupos), e assim por diante. Em seu sentido vertical de organização, é interessante (e mais fácil) que se inicie pelas receitas, passando-se às despesas, chegando, por fim, ao resultado final.

As receitas no plano de contas

Dependendo da complexidade das finanças e do porte de uma empresa, a gestão contábil vai passar por uma quantidade grande de lançamentos e detalhamentos específicos. Portanto, vai ser conveniente que existam comentários e indicações sobre o uso e para que serve cada uma das contas a serem registradas, além de outros critérios que se mostrarem relevantes.

No nível das Receitas, por exemplo, deve-se demarcar a espécie de produto (ou serviço) que justifica a entrada de recursos na empresa, a natureza da transação, entre outros indicativos, bem como as categorias às quais ele pertence. Pode ser interessante separar em subgrupos, como Receita Obtida com Venda de Produtos e Receita Obtida com Venda de Serviços.

As despesas no plano de contas

Uma sugestão oportuna pode ser registrar de uma vez as Despesas Diretas que se relacionem com as receitas alcançadas, como as matérias-primas, comissões por venda, deslocamentos de logística, o custo da mercadoria vendida, entre outras. Pode-se chegar, com isso, à Margem de Contribuição geral do negócio, a partir da subtração das Receitas pelas Despesas Diretas. Logo em seguida, podem-se distinguir as Despesas Fixas, divididas em pelo menos três subgrupos: Recursos Humanos, Despesas Operacionais e Despesas com Marketing.

 

As demonstrações de resultados do plano de contas

Quando se deduz as Despesas Fixas da Margem de Contribuição, é possível verificar o Lucro ou Prejuízo Operacional que a empresa obteve no período analisado. Depois disso, o gestor ainda pode contabilizar as entradas e saídas de recursos que não estejam imediatamente conexas ao negócio, mas que possam existir ocasional ou constantemente. Nesse espaço, estão as multas, taxas diversas, a política de recompensas para sua equipe, entre outros exemplos. Finalmente, chega-se ao Lucro ou Prejuízo antes (do Desconto) dos Impostos, somando-se o Resultado Não Operacional ao Resultado Operacional.

 

O lucro (ou o prejuízo) líquido da empresa

Descontando-se os tributos que incidem sobre a renda obtida pela empresa, dentro do regime tributário escolhido pelo gestor, com auxílio de seus contadores, chega-se ao Lucro Líquido (ou Prejuízo Líquido) do negócio. Esta linha é aquela que mais atenção vai ter dos gestores, já que indica se o negócio está funcionando bem ou não no mercado, gerando lucros e sobrevivendo na sua atividade.

 

Fazer um plano de contas atualizado e organizado é uma postura notável para que o gestor visualize bem o seu negócio e, dependendo da situação que encontrar, mude suas estratégias. A ferramenta deve ser, pois, detalhada o suficiente para permitir a adequada visualização dos cenários, mas não tão meticulosa, a ponto de embaraçar o registro dos dados e sua posterior análise para a melhor tomada de decisões. Você tem acompanhado o plano de contas de sua empresa? Aproveite e conheça o JFinanças, nosso software de gestão financeira que deixa tudo isso mais fácil!

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta