Quanto cobrar pelo meu serviço?

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Enquanto consultores de empresas, contadores e especialistas financeiros conseguem definir parâmetros ​​para a sua rentabilidade com maior facilidade, algumas pessoas não têm experiência ou compreendem como estabelecer o valor do seu serviço no mercado. Por isso, muitas vezes, para aqueles empresários que trabalham de forma independente na prestação de serviços um dos maiores desafios é definir quanto cobrar pelo seu trabalho.

Antes de mais nada, você precisa saber que um bom negócio é aquele que fornece benefícios para ambas as partes. Ou seja, o prestador do serviço e o contratante precisam se sentir satisfeitos com o preço. No artigo de hoje, você aprende dicas importantes para saber quanto cobrar pelo seu serviço.

1. Comece com uma avaliação realista 

Por quantos anos você atua na sua área? Seu serviço tem um grande diferencial? Uma avaliação honesta de suas habilidades podem responder se o seu serviço ou produto é caro ou não. Se você tiver grande experiência ou uma boa reputação no mercado, por exemplo, nada mais justo que cobrar mais que profissionais que oferecem menos que você.

2. Pesquise a taxa corporativa

Tire um tempo para pesquisar na internet e entre em contato seus amigos para saber quanto o mesmo serviço está sendo cobrado pelo mercado. O valor cobrado por um profissional com a sua experiência, que desempenha uma função similar, dentro de uma empresa deve ser dividido por 12 meses. O resultado deve ser dividido por 30 para se obter o salário por dia. O número resultante divido por 8 é uma estimativa do custo por hora que você deve cobrar pelo seu serviço profissional.

3. Quanto são os custos variáveis ​​por projeto ou produto? 

Antes de fechar o preço do seu serviço, é preciso também pensar em todos os custos envolvidos em cada projeto. Isso inclui materiais ou custos específicos que podem variar de acordo com cada projeto, como por exemplo, locação de equipamentos específicos para um trabalho. A recomendação é não incluir despesas de viagem ou outros gastos extras, mas recolhê-los de forma independente.

4. Quais são os custos fixos da empresa? 

Neste cálculo entram despesas que você tem, independente do projeto. Deve ser considerado o consumo de eletricidade, limpeza, água, telefone fixo, móvel, internet, etc. Para equipamentos de computador e material de escritório deve ser considerado um custo de substituição (depreciação). Não esqueça de incluir também o custo da publicidade ou o do seu site. Importante: Um erro comum é dividir os custos fixos totais pelo total de horas de “trabalho” no ano.

5. E os impostos?

Embora seja tentador trabalhar de forma informal, considere que muitos dos seus clientes vão exigir um recibo ou uma nota fiscal. Não cumprir suas obrigações fiscais pode consumir uma boa parte de seus ganhos, portanto lembre sempre de incluir os impostos pagos no valor do seu serviço.

6. Horas de trabalho

É importante determinar as horas estimadas que você dedicar ao projeto e um custo por hora de consultoria ou conjunto de trabalho. O importante aqui é se certificar que o cliente saiba a quantidade de horas trabalhadas no projeto, baseado no acordo assinado inicialmente.

Já descobriu quanto cobrar pelo seu serviço? Então chegou a hora de acompanhar os bons resultados de vendas com um sistema de gestão. Experimente grátis o Sage Start!

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Um comentário em “Quanto cobrar pelo meu serviço?

Deixe uma resposta