Trabalhar em pé? Conheça a tendência das standing desks

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Pesquisas mostram que ficar sentado por horas a fio é péssimo para a saúde. Pensando nisso, as mesas de trabalhar em pé (standing desks) estão se tornando cada vez mais populares. As empresas e grandes corporações estão em uma tendência de oferecer qualidade de vida e boas condições para seus funcionários e, nessa seara, logicamente, precisa entrar a mobília utilizada em seu local de trabalho.

Embora possa custar um pouco mais por exigir a remodelação do ambiente corporativo, pode valer a pena por aumentar o bem-estar e até a produtividade das equipes. Quer descobrir como funciona essa nova tendência de trabalhar em pé? Confira no texto a seguir:

A dor de estar sentado

Novas pesquisas têm demonstrado que passar o dia sentado não é nada bom para nossa saúde. Essa postura não é a mais natural do ser humano para passar horas a fio e pode estar prejudicando vários sistemas de nosso organismo.

A marcha evolutiva nos levou para longe de nossos ancestrais quadrúpedes, mas em todos os lugares que vamos, vemos uma verdadeira exigência para ficarmos sentados: são bancos, poltronas e cadeiras em tudo que é canto. E em nosso local de trabalho, a coisa não muda de figura: uma bela cadeira de escritório é o sonho de consumo de muitos profissionais.

Um movimento que ganha força

Por isso, o movimento para sentarmos menos e ficarmos mais horas em pé ganha força pelo mundo. Novas evidências sugerem que as mais de oito horas que um americano médio gasta sentado todos os dias podem ser péssimas para o corpo: o comportamento sedentário está intimamente ligado a problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas, diabetes, obesidade e hipertensão.

Médicos e especialistas em saúde pedem agora uma mudança de paradigma. Ficar em pé deve ser o comum, enquanto sentar-se deve ser raro e opcional. O corpo humano é projetado para estar em pé e se mover, e um corpo em movimento consome as energias que iriam se acumular em forma de gordura — mesmo quando não está se exercitando, apenas por estar se mantendo em pé, usa-se energia. Já um corpo que está sentado não está gastando praticamente nenhuma energia e, quando isso acontece, torna-se cada vez mais difícil sair da cadeira.

A saída

Levantar-se e tornar-se mais ativo irá ser cada vez mais fácil a partir do momento que você começar. Você ficará mais saudável, mais ativo, e isso pode trazer benefícios para a produtividade e, possivelmente, a criatividade. Empresas como a Apple estão investindo nesses estudos, adquirindo computadores e mobília que permitam que o funcionário execute suas funções de pé. Com estações móveis, laptops e a possibilidade de se moverem ao redor do ambiente, os ganhos foram notáveis — até nos relacionamentos interpessoais entre os funcionários.

Se você não tem a auxílio da Apple ou de um chefe com visão de futuro para modificar seu local de trabalho, existem jeitos de se levantar por você mesmo. Se não pode mudar sua estação de trabalho para a posição de pé, você pode começar a se forçar a fazer mais tarefas em pé e circular pelo ambiente com mais freqüência. Para os mais ambiciosos, uma boa tentativa é convencer seus colegas a tentar reuniões em pé.

Mudando seu estilo de trabalho para um baseado em estar em pé, você pode até queimar calorias extras por dia. Mas não é só isso: você estará mais ligado e produzirá mais. É uma atitude a se pensar, não é mesmo?

E então, vai tentar ficar de pé enquanto trabalha? Tem mais alguma dúvida sobre essa tendência? Deixe um comentário e compartilhe conosco suas ideias!

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário