Use planilha de controle financeiro para saber o que fazer com a sua restituição de IR

planilha de controle financeiroA partir de junho, a Receita Federal começa a liberar os lotes de restituição do Imposto de Renda. A maioria dos assalariados, que não têm rendas extras, como aluguéis, têm direito a essa restituição.

Não é possível saber em qual lote, ou em que mês, o contribuinte irá receber sua restituição. Mas o valor do desconto a receber ou do imposto a pagar já são informados no momento da declaração de IR. No formulário simplificado, o desconto é de 20% sobre a base de cálculo do imposto pago ao longo do ano passado.

Se você já declarou o Imposto de Renda referente aos seus ganhos de 2012 e sabe quanto irá receber, já pode planejar o que fazer com o dinheiro. Para quem tem dívidas, é uma boa oportunidade de reduzi-las. O dinheiro também pode ser usado para começar um investimento.

Para tomar a melhor decisão sobre o destino da sua restituição de IR, utilize uma planilha de controle financeiro. Assim, você verá com clareza todas as suas contas e poderá determinar com mais segurança a melhor forma de utilizar esse dinheiro.

Para isso, a Cenize oferece gratuitamente o JFinanças Pessoal. Você pode começar hoje mesmo a utilizar a ferramenta de controle financeiro pessoal, a melhor ajuda para controlar o seu orçamento familiar.

O ideal é esperar a restituição ser feita para utilizá-la. Quem precisa de dinheiro neste momento e está avaliando tomar um empréstimo, uma opção é buscar a antecipação da restituição de IR no seu banco. Antes de tomar essa decisão, porém, avalie as vantagens e desvantagens de contrair esse crédito. Afinal, a restituição antecipada é uma forma de dívida, que tem como garantia a sua restituição. Ao recebê-la antes pelo banco, você abrirá mão de uma parte do valor, que será paga ao banco na forma de juros.

As vantagens de antecipar a restituição do IR com o banco é que os juros cobrados são menores que o de outros tipos de crédito, como o cheque especial. Então, se você tem uma dívida com juros altos como essa, pode ser válido trocá-la.

Uma desvantagem é não saber quando irá receber a restituição. O contribuinte que cair na malha fina não irá recebê-la esse ano e pode até não receber se a Receita Federal encontrar divergências na declaração. Nesse caso, a dívida pode demorar a ser quitada.

Mais uma vez, a planilha de controle financeiro pode ajudá-lo a tomar essa decisão, ou ainda melhor o jFinanças Zero.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn