Você comete infidelidade financeira?

Dinheiro é coisa séria também nos relacionamentos. Coisas simples como a compra de um sapato novo ou uma ida àquele restaurante italiano na hora do almoço podem ter consequências trágicas para um casamento, como endividamento e até mesmo divórcio. Por isso, quando o assunto é finanças, é bom ter cuidado para não cometer nenhum deslize. Leia nossas dicas e evite que a infidelidade financeira interfira na sua vida a dois.

 

Dinheiro não deve ser tabu nas conversas do casal

Uma vida a dois envolve também o compartilhamento de contas e da renda, independentemente da situação profissional e econômica de ambos os cônjuges. Por essa razão, não deve haver tabu nas conversas do casal quando o assunto é dinheiro. Todo mês é preciso sentar lado a lado do(a) companheiro(a) e colocar rendas e despesas na ponta do lápis. Só assim será criada uma dinâmica de cumplicidade e companheirismo que permitirá que o casal sobreviva a eventuais adversidades financeiras.

Quanto maior a dívida, maior a necessidade de compartilhar o fardo financeiro

Ao assumir grandes dívidas para a família, nada mais sensato do que envolver o cônjuge na tomada de decisões. Isso, porque é um fardo que afeta ambas as pessoas, compromete a renda e gera ônus para o casal. Não é à toa que até mesmo a legislação tem mecanismos para evitar que grandes decisões financeiras e patrimoniais sejam tomadas sem o consentimento do marido ou da esposa. Esse é o caso, por exemplo, da compra e venda de imóveis, que necessariamente exige o consentimento do cônjuge para ser realizada.

Você é infiel nas finanças?

Você compra uma roupa bacana, ou aquela peça para o carro, mesmo em períodos de economia e contenção de gastos? Pois saiba que é  importante refletir sobre a postura que temos em nosso casamento, já que lidar com as finanças tem repercussão em vários âmbitos da vida a dois. Muitas vezes, a compra de um supérfluo ao final do mês pode comprometer a renda da casa para o mês seguinte, seja com aquela cervejinha inocente depois do trabalho, seja com tratamentos estéticos que podem esperar até o mês seguinte. Ou seja, a infidelidade financeira também pode ter perna curta!

Como evitar que a infidelidade financeira ocorra em sua casa

Para evitar que a infidelidade financeira também aconteça em sua casa, é importante garantir, assim como foi dito anteriormente, que ambas as partes tenham conhecimento da realidade financeira do casal. Por mais chato que possa parecer fazer as contas em conjunto, é importante a participação do casal em todas as decisões financeiras.

Além disso, o planejamento orçamentário do casal deve ser feito a quatro mãos, considerando as necessidades e as vontades de ambos os cônjuges. Ninguém deve ter contas secretas, nem desrespeitar as metas financeiras estabelecidas a dois. Cheques, extratos, comunicações do banco e cartas de cobrança não devem ser escondidas. Neste sentido, utilizar um software de controle das finanças pessoais pode ser uma ótima ideia, pois ajuda a manter a transparência no relacionamento.

 

Pronto para colocar essas recomendações em prática e ter um casamento mais saudável financeiramente? Afinal, a vida a dois já tem problemas demais, não precisa de fardos desnecessários, principalmente aqueles relacionados a dinheiro.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta